O mexilhão-dourado é um pequeno molusco bivalve (que possui duas conchas) originário da China, que chegou à América do Sul nas águas de lastro dos navios mercantes, invadiu a bacia Paraná-Paraguai e que põe em risco os usos múltiplos dos recursos hídricos. Este pequeno molusco se fixa em qualquer substrato duro, tem hábito gregário e se reproduz rapidamente. A ausência de predadores e parasitas que controlem sua população faz com que se alastre pelas bacias hidrográficas brasileiras. Em 1991 foi encontrado na foz do rio da Prata, e hoje está presente no Pantanal e avança pelas usinas hidrelétricas brasileiras na bacia do rio Paraná.



Nas usinas hidrelétricas, o acúmulo de mexilhões pode afundar equipamentos flutuantes, prejudicar a operação de equipamentos submersos e obstruir tubulações. Os sistemas de refrigeração das turbinas ficam sujeitos a entupimentos. Quando isso ocorre a geração é interrompida.

No ambiente, o mexilhão ocupa todo o espaço que lhe for disponível, e pode alterar a composição de espécies de invertebrados do ambiente aquático. Com as alterações na cadeia alimentar, a captura de certas espécies de peixe pode ser prejudicada. Para os usuários dos recursos hídricos, o mexilhão poderá provocar uma série de problemas:
  • invasão de tubulações de abastecimento de água, de drenagem pluvial e de captação para a agricultura irrigada;
  • obstrução de sistemas de resfriamento de indústrias e usinas hidrelétricas;
  • perda de estruturas flutuantes destinadas ao lazer por excesso de peso;
  • prejuízo do funcionamento de motores dos barcos;
  • perda de tanques-rede.
Problemas semelhantes ocorrem nos Estados Unidos e no Canadá, países nos quais o mexilhão-zebra se disseminou.

Em 2003, o governo brasileiro, através do Ministério do Meio Ambiente, criou a força-tarefa Nacional para o Controle do Mexilhão-dourado (PORTARIA No 494, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003), que contou com a representação de várias instituições, incluindo a Eletrobras Furnas. A força-tarefa elaborou um plano de ação integrado para impedir o avanço do mexilhão-dourado, e principalmente evitar que alcance bacias hidrográficas importantes como a dos rios Amazonas, Tocantins e São Francisco.

Com o intuito de se antecipar a possíveis problemas que venham a atingir seu parque gerador, a Eletrobras Furnas formou um grupo de trabalho para definir uma estratégia de ação para a empresa. O grupo é coordenado pelo Departamento de Equipamentos Rotativos (DER.O), pela Estação de Hidrobiologia e Piscicultura da Eletrobras Furnas (EHPF) e pelo Departamento de Meio Ambiente (DMA.T). Foi criada a campanha "NÃO DÊ CARONA A ESSE BICHO!", que envolve a apresentação do problema aos técnicos das usinas em operação, o treinamento para o monitoramento da presença do mexilhão nas estruturas da usina e palestras com segmentos sociais que fazem uso do reservatório.



As palestras da Eletrobras Furnas estão disponíveis em formato PDF:
  • omexilhaodourado.pdf - em que é apresentada a origem do molusco, alguns aspectos biológicos, como diferenciá-lo de outras espécies e que estragos ele pode causar;
  • carona.pdf - em que são apresentadas medidas de limpeza das embarcações para evitar o transporte involuntário do mexilhão;
  • monitoramento.pdf - em que são apresentados os procedimentos de monitoramento de larvas e de detecção da presença de adultos;
  • MexilhãoDouradoCartilha.pdf - em que um menino vai percebendo os problemas que o mexilhão provoca enquanto conversa com um deles.
A campanha foi apresentada com grande sucesso no Seminário Nacional sobre Espécies Aquáticas Invasoras, realizado em abril, em Belo Horizonte-MG.

O sucesso dessa empreitada dependerá da conscientização da população para os problemas que o mexilhão oferece. Tanto a força-tarefa quanto o grupo de trabalho de FURNAS vêem na interação com a sociedade e na formação de multiplicadores da informação, junto aos diversos grupos usuários dos recursos hídricos, como a mais importante arma para o combate ao molusco invasor GRUPO DE TRABALHO da Eletrobras Furnas

Fernando Antônio Blanco Resende (DER.O) - Telefone (21) 2528-5747
Marcília Barbosa Goulart (EHPF)- 35-3523-4491
Paulo Sérgio Formagio (EHPF) - 35-3523-4491
Rodrigo De Filippo - Telefone (21) 2528-3258



VÍDEO

Assista ao vídeo da campanha do Mexilhão-Dourado no 26º Festival de Pesca de Cáceres - MT

Mexilhao.wmv


FOTOS

Grade de proteção de captação de água Foto 01: Grade de proteção de captação de água
Autor: Rodrigo De Filippo
Detalhe da incrustação na grade de proteção Foto 01a: Detalhe da incrustação na grade de proteção
Autor: Rodrigo De Filippo
Colônia de mexilhões em tubulação Foto 02: Colônia de mexilhões em tubulação
Autor: Rodrigo De Filippo
Colônia de mexilhões extraída da tubulação Foto 02a: Colônia de mexilhões extraída da tubulação
Autor: Rodrigo De Filippo
Grade de proteção de usina hidrelétrica Foto 03: Grade de proteção de usina hidrelétrica
Autor: Rodrigo De Filippo
Detalhe da incrustação na grade Foto 03a: Detalhe da incrustação na grade
Autor: Rodrigo De Filippo
Mexilhão em pneu usado na proteção lateral de barcos Foto 04: Mexilhão em pneu usado na proteção lateral de barcos
Autor: Rodrigo De Filippo
Bóia de navegação Foto05: Bóia de navegação
Autor: Rodrigo De Filippo
Fundo da bóia de navegação Foto 05a: Fundo da bóia de navegação
Autor: Rodrigo De Filippo
Mexilhões sobre vegetação submersa Foto 06: Mexilhões sobre vegetação submersa
Autor: Rodrigo De Filippo
Incrustação em pedra Foto 07: Incrustação em pedra
Autor: Rodrigo De Filippo
Resíduos de mexilhões em sistema de resfriamento Foto 08: Resíduos de mexilhões em sistema de resfriamento
Autor: Rodrigo De Filippo
Limpeza de sistema de resfriamento Foto 08a: Limpeza de sistema de resfriamento
Autor: Rodrigo De Filippo
Limpeza de filtro tipo hidrociclone Foto 09: Limpeza de filtro tipo hidrociclone
Autor: Rodrigo De Filippo
Conjunto de filtros obstruídos Foto 10: Conjunto de filtros obstruídos
Autor: Rodrigo De Filippo
Limpeza dos filtros Foto 10a: Limpeza dos filtros
Autor: Rodrigo De Filippo
Sistema de filtros após a limpeza Foto 10b: Sistema de filtros após a limpeza
Autor: Rodrigo De Filippo


DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA:

PORTARIA No 494, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003
SePRO News - Boletim Informativo
Relatsrio Ticnico DMA.T.RT

PAGINAS RELACIONADAS A ESPÉCIES INVASORAS:

Mexilhão dourado em Porto Alegre
http://www.scielo.br/pdf/rbzool/v20n1/v20n1a09.pdf


I Encontro para o Controle do Mexilhão Dourado - realizado por Itaipu Binacional, em 2003
http://www.pti.org.br/home2/eventos/mexilhao.htm


Força-tarefa Nacional de Controle do Mexilhão Dourado
http://www.mma.gov.br/aguadelastro/mexilhao.html


Programa Global de Gerenciamento da Água de Lastro (em inglês)
http://globallast.imo.org/


Apresentação Workshop Mexilhão Dourado - Professora Maria C. D. Mansur
http://www.proguaiba.rs.gov.br/noticia.php4?Cod=96


Ocorrência e Impactos do Mexilhão Dourado (Limnoperna fortunei, Dunker 1857) no Pantanal Mato-Grossense.
http://www.cpap.embrapa.br/publicacoes/download.php?arq_pdf=CT38


Prevenção e Controle de Bivalves Invasores
http://www.way.com.ar/~invasion/Portugues/


Invasão do mexilhão zebra na América do Norte
http://www-atlas.usgs.gov/zmussels1.html


Portaria nº 494, de 22 de Dezembro de 2003



  Todos os direitos reservados a Eletrobras Furnas